segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Não seja pato... você é um cisne!

Estamos no início de 2011.
Na última semana de 2010, tive a oportunidade de ouvir Abigail, uma colega , fazer a exposição sobre o tema Autoestima.
Confesso que fiquei impressionado pois, ao contrário da maioria das pessoas, ela nos convidava a sermos o nosso melhor.
Contou a fábula do Patinho Feio... muito conhecida de todos, mas colocou a certeza de que todos nós podemos ser melhores, basta que descubramos o nosso potencial e não deixemos que ninguém nos transforme em pato...
É interessante notar o rosto das pessoas quando não estamos falando, interessante notar as reações que as palavras vão produzindo e, mais interessante ainda, ver as reações que as pessoas que não acreditam que somos cisnes vão tendo.
Triste ver, em qualquer cenário, que existem pessoas interessadas somente em mostrar desagrado com atuações de colegas, pessoas que insistem em derrubar as melhores intenções, que insistem em manifestar-se de maneira preconceituosa, mesmo quando querem ser agradáveis.
É tempo de mudança... é necessário que sejamos melhores, que sejamos mais abertos a novos modos de comunicação, que sejamos mais conscientes de que somos todos diferentes, mesmo sendo filhos do mesmo Pai.
A história de cada um é única, não permitindo comparações nem tampouco julgamentos.
Sejamos coerentes com a doutrina que professamos, deixemos de lado o preconceito,  principalmente quando vem embutido em declarações de pseudo defesa dos valores cristãos.
Jesus foi muito claro: nem todos os que dizem Senhor, Senhor, entrarão no Reino dos Céus, principalmente porque são os mesmos que diziam essas palavras quando ele esteve entre nós... parece que não aprenderam nada...
É tempo de mudança... é hora de procedermos em nós mesmos a mudança que queremos ver no mundo, como nos alertou Gandhi.
Olhar o cisco no olho do companheiro de viagem já não faz sentido, principalmente porque, normalmente, nosso olho tem uma trave que nos impede a visão.


Nenhum comentário:

Postar um comentário