segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Os Mensageiros

Sem ninguém esperar ela chegou e perguntou à queima-roupa:
- Vô, por quê esse povo briga tanto?
- Agora sim, netinha... agora a coisa ficou feia...
- Por quê, vô?
- Porque tem uma série de explicações pra isso... mas vamos começar do começo... de novo.
- Por quê do começo, vô?
- Porque nem tudo o que vemos hoje é de hoje mesmo, normalmente o pessoal briga muito pelas muitas contas a acertar e não consegue entender que isso é uma oportunidade muito grande para fazer de maneira diferente o que fizeram em outros tempos.
- Quer dizer que nem tudo é desta vida, vô?
- Nem tudo...
- Mais ou menos quanto é desta vida?
- Eu acredito que chega a mais de 70%... mas nós atraímos muito do passado porque não mudamos a nossa maneira de ver a vida...
- Quer dizer que se mudar a nossa maneira de ver a vida, as coisas mudam?
- Mudam sim... é questão de ver a vida com outros olhos... não podemos esquecer que somos todos médiuns e que nos associamos às correntes mentais que vibram na mesma frequência que a nossa...
- Para vô, troca em miúdos...
- Desculpe... trocando em miúdos: se pensarmos em coisas boas, nos associamos com os que pensam em coisas boas, se pensamos em coisas não tão boas, nos associamos com os que pensam em coisas não tão boas...
- Entendi... só não entendi ainda porque o pessoal briga tanto...
- Está relacionado ao fato de todos sermos médiuns, mas não sabermos isso de maneira consciente...
- Como assim, vô?
- Nós temos muitos bloqueios ainda, muitos preconceitos e isso atrapalha a nossa maneira de ver e entender o que temos que fazer neste mundo...
- O que isso quer dizer, vô?
- Isso quer dizer que, muitas vezes, lembramos de compromissos do passado mas não queremos fazer diferente, e isso atrai companheiros de pensamento...
- O que acontece então, vô?
- Acontece que eles ficam buzinando na nossa mente, buzinam palavras, nos instigam contra os que deveríamos fazer as pazes e assim as coisas vão tomando um rumo não muito bom  na vida...
- Mas você não falou que 70% não é desta vida?
- Falei, mas quando você começa a dar ouvidos a esses espíritos você fica desequilibrado e começa a fazer um monte de bobagens...
- E ai?
- Ai que fazendo um monte de bobagens, você vai acumulando problemas e mais problemas... até que fica insuportável levar a vida...
- Nossa, vô... o que fazer então?
- Procurar ajuda...
- Onde, vô?
- Onde? Num centro espírita...
- É mesmo, vô... o centro espírita é o melhor lugar para tratar de problemas espirituais...
- Isso mesmo. Milagres não existem, mas a ajuda espiritual nos faz ver a vida de maneira melhor e dessa forma nós vamos resolvendo os problemas que apareceram pelo nosso desequilíbrio...
- Arruma a vida encarnada, os tais 70%...
- Isso mesmo, sobraram os 30% originais e como estamos equilibrados, temos mais oportunidades de acertar a vida com aqueles que vieram nos cobrar nesta encarnação...
- Tudo vai se encaixando, né vô?
- A vida nos oferece todas as oportunidades que precisamos para conquistarmos tranquilidade, nós é que normalmente não acreditamos nisso...
- Mas vô, você disse que isso acontece porque todos somos médiuns? Não seria melhor deixar esse negócio de mediunidade de lado?
- Não temos como deixar isso de lado, isso é do ser humano, não é de religião... o que temos que fazer é educar essa mediunidade para tirarmos proveito dessa ferramenta que nos ofereceram e melhorar a sintonia com os desencarnados...
- É difícil, né vô?
- Difícil sim, impossível não... precisamos deixar de lado o preconceito e começarmos a ver a vida de maneira mais feliz e mais cheia da luz de Deus. Não adianta ver demônios somente, mas entender que os ditos demônios são espíritos que ainda não atingiram um grau de evolução satisfatório e que por isso nos influenciam para o mal...
- Mas não é só culpa deles, né vô?
- Claro que não, na verdade não existem culpados, o que existe é nível de evolução. Tanto os que influenciam  quanto os que se deixam influenciar, simplesmente agem de acordo com o seu nível de evolução. Por isso é necessário, repito, que eduquemos a nossa mediunidade.
- Complicado de entender...
- O tempo vai fazer você entender direitinho, por enquanto o que vale é pensar cada vez melhor, em coisas boas, em coisas de amor...
- Amor?
- É... amor... o amor está no ar, é só questão de sintonizá-lo e evitar as interferências de outros tipos de pensamento...
- Será que esse povo vai entender?
- Não sei, cada pessoa tem seu momento, mas tenho certeza que a Humanidade caminha para melhor... vamos caminhar também...
- Vamos sim, vô.