sábado, 19 de janeiro de 2013

Aprendendo a dividir

- Bom dia, vô!
- Bom dia, netinha!
- Vô, me fala uma coisa: o que a gente tá fazendo neste mundo?
- Rapaz... que pergunta! não tem uma mais fácil, não?
- Deixa de brincadeira vô e trata de responder...
- Bom, tenho algumas ideias sobre isso... a primeira é aquela que Jesus nos disse: estamos aprendendo a amar...
- Aprendendo a amar? eu amo meu pai, minha mãe, minhas primas, você, a vó... tá bom?
- É um bom começo... a gente começa sempre pelos próximos mais próximos e a ideia é que nós tenhamos coragem para aumentar esse círculo virtuoso...
- Círculo virtuoso?que é isso?
- Círculo virtuoso é o círculo do bem, das coisas boas que nós podemos fazer e mostrar, assim os outros podem ver e fazer igual... ou melhor...
- Legal, mas como é que podemos aumentar esse tal "círculo virtuoso"?
- Bom, cada um vai encontrar a sua maneira de fazer, isso quer dizer que não existe receita pronta, não é como fazer um bolo que você mistura os ingredientes na proporção certa e o bolo fica gostoso, fofinho e pronto... é preciso tempo, é preciso vontade e, principalmente, persistência...
- Nossa vô, eu pensei que fosse mais fácil, que a gente tirava de letra...
- Podemos tirar de letra sim, mas devemos nos esforçar e ir amando a todos na medida que já conseguirmos, sem deixar de oferecer um centavo de amor, um centímetro de carinho, uma milha de boa vontade...
- Como é que você está fazendo?
- Eu também estou aprendendo e confesso que devagar, bem devagar...
- Por quê devagar?
- Tem coisas que eu ainda não consigo dividir, mas eu já dividi muita coisa e nem fiquei pior por causa disso...
- Por exemplo, vô?
- Vamos começar do comecinho... quando eu era criança...
- O que você dividiu quando era criança?
- Eu dividia a cama com meus pais... eu nunca tive uma cama só minha... eu dormia sempre com alguém... primeiro dormi com meus pais...
- Mas é normal isso... ou não?
- Era normal, pela época em que eu vivi, hoje nem tanto... as crianças tem um quarto separado, camas separadas, armários separados, enfim... tudo só pra elas...
- É quase isso mesmo, vô... eu mesma tenho um quarto meu e tudo o mais que você falou...
- Viu?
- Até aí tudo bem... que mais?
- Bom... depois que eu mudei de casa, lá pelos 1960, eu deixei de dormir com meus pais e fui dormir com meus irmãos... tínhamos um quarto a mais... em compensação ficávamos todos em uma cama só... os meninos em uma, as meninas em outra... era um salseiro... briga pra todo lado...
- Imagino...
- Até que os irmãos foram casando e eu ficando com um pouquinho mais de espaço... ficamos eu e um irmão...
- Nossa vô... e você achava bom?
- Claro... sobrava muito mais espaço...
- É verdade...
- A coisa melhorou quando mudamos para a casa que era da minha irmã... ai tinham os quartos e uma sala com sofá... a minha irmã dormia na sala e eu e meu irmão no quarto... cada um em uma cama... foi um avanço muito grande...
- Nossa vô... você nunca teve um quarto só seu?
- Nunca... mas deixa eu terminar...
- Termina...
- Passado algum tempo o meu irmão comprou a casa, ele ia casar... o terreno era grande e construíram uma casa nos fundos... com quarto, sala, cozinha e banheiro...
- Teus pais no quarto, você na sala... acertei?
- Quase... a ideia era essa mesmo... só que não deu certo...
- Porque,  vô?
- A minha irmã mais velha teve uma série de problemas com o marido e foi morar conosco... lá se foi a minha sala...e pior: ela roncava direto, eu nem conseguia dormir direito...
- E ai, vô?
- Ai que foi uma provação, era ronco toda noite... eu mal conseguia dormir, começava o dia já nervoso...
- Imagino...
- Mas tudo passa, o tempo passou também e com o tempo meu pai comprou uma casa, noutra rua... lá fomos nós outra vez...mudança e mais mudança...
- Agora você vai ter o quarto... ou não?
- Não... a minha irmã foi a escolhida, mas eu fiquei com a sala só pra mim...
- Menos mal, né vô?
- É verdade... assim eu fui dividindo e nunca mais tive alguma coisa que fosse só minha... casa, quarto, esposa...
- Como assim, esposa?
- Claro... depois que eu casei com tua avó o quarto era dos dois... dividido... vieram os filhos e eu dividi a esposa que passou a ser mãe... percebeu?
- Nossa... é verdade vô...
- Por isso que eu te digo que a gente vem pra aprender a dividir...  a gente não gosta muito, mas a vida vai nos ensinando, vai nos propondo algumas mudanças e a gente aceita ou não... aceitar ainda é a melhor solução, pois quem não aprende a dividir fica sozinho...
- É mesmo, e ficar sozinho não é muito bom...
- Não é mesmo ... é uma coisa muito triste... por isso, apesar de tudo, ainda é preferível dividir, mesmo porque quando a gente divide o peso fica menor... as pessoas nos ajudam a carregar...
- Verdade vô...

5 comentários:

  1. Querido Manolo, que texto! aprendi no decorrer do tempo que colocar em prática a leitura - refletir e colocar em ação é mais prazeroso do que armazenar para mim mesma os tesouros que recebo; seu texto é um desses tesouros.
    Espero por você no Perseverança, e em breve reencontra-lo para mais uma reunião edificante.
    Abraço fraternal
    Nicinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Nicinha.
      Muito obrigado pelo carinho... espero que nos vejamos em breve.
      Abraço fraterno.

      Manolo Quesada

      Excluir
  2. boa noite manolo , sou luiz aurélio e frequentei por um período o paulo de tarso , onde não p´reciso falar da sua figura risonha ..;.rapaz....
    entrei no seu site para lhe dar um abraço e seguí-lo...

    um grande abraço e muitas flores em seu caminho

    obrigado....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Luiz.
      Fico muito feliz de estarmos juntos neste blog... é despretensioso, como você está vendo, mas é de coração.O pessoal do Paulo de Tarso é D+... muito obrigado, de coração!!!

      Manolo Quesada

      Excluir
  3. Vim lá da Nicinha e achei lindo teu texto e blog! abraços,chica

    ResponderExcluir