quinta-feira, 30 de maio de 2013

Vô, cê deixa eu te ver?

A neta chegou bem pertinho do avô e disse quase sussurrando:
- Vô, deixa eu te ver?
O avô não conseguiu entender direito e pediu para que ela repetisse.
- deixa eu te ver, vô?
- Agora sim... claro, eu tô aqui é só olhar... que tal?
- Não vô, não é desse jeito...
- Então de que jeito é?
Ela ficou meio sem jeito e disse, quase que pedindo desculpas:
- Não é agora... mas olha, eu não quero que você pense errado... eu não quero que isso aconteça rápido...
- O quê você não quer que aconteça rápido, netinha?
- Eu gostaria que você deixasse eu te ver depois que você morrer...
- Ah... agora entendi... mas porquê a pergunta?
- Olha vô... eu não quero que isso aconteça já mesmo, não fica chateado comigo...
- Eu sei que você não quer que isso aconteça, essa parte eu já entendi... o que eu perguntei é o por quê da pergunta...
- Eu vou te contar... eu tenho uma amiga que vê o avô dela e ele já está morto...
- Ela vê direitinho?
- Direitinho, vô, parece que ele tá vivo pertinho dela... e eu queria ver se, só depois que você morrer, você deixava eu te ver...
- Interessante...
- O quê vô?
- A tua amiga... ver o avô desse jeito... ela deve gostar muito dele e ter muita confiança...
- Ela gostava muito e ficou muito triste quando ele morreu... chorava muito e ficou quase deprimida... foi um custo para que ela entendesse...
- Olha que coisa boa, o avô teve permissão para visitar a netinha para que ela não ficasse muito triste...
- Então, eu ficaria muito melhor se você aparecesse assim, sem que eu precisasse ficar muito triste... será que isso é possível?
- Veja só, no caso da tua amiga, os dois tiveram oportunidade e merecimento para que isso se processasse, pois não é tão comum a gente ficar vendo desencarnado a todo momento...
- Ela não vê a todo momento, só de vez em quando...
- Mesmo assim... é meio complicado, pois é necessário que o Espírito que desencarnou já tenha superado os momentos mais críticos... a gente fica meio confuso quando chega do outro lado, precisamos ser amparados e, acima de tudo, nos situar em relação ao novo momento que estamos passando...
- Nossa vô... isso é mais complicado do que eu imaginava...
- Não é de assustar não, mas precisa um pouco de tempo, pois as coisas não acontecem assim de repente...
- Mas ela vê mesmo, vô...
- Com certeza... e deve ter um motivo para que isso tenha acontecido... a tristeza dela explica a possibilidade, mas o importante mesmo é o grau de evolução do avô, que já teve permissão para vir e deixar a netinha mais contente e disposta...
- Ela fala que ele era muito bacana e tratava ela superbem... desde pequenininha...
- Tenho certeza que entre eles existe uma afinidade muito grande e uma ligação construída em termos de amor e cooperação...
- Isso quer dizer que eles se gostavam de outras vidas?
- Com certeza... reencarnamos, normalmente, junto das pessoas que amamos e, eventualmente, com as pessoas que não amamos tanto ainda...
- É mesmo, vô?
- É... os que amamos para que os amemos mais ainda e os que não amamos para que possamos compreender e aceitar o grau de evolução de cada um, entendendo que cada um oferece só o que já tiver conquistado...
- O que isso quer dizer, vô?
- Quer dizer que devemos nos tratar sempre bem e procurar entender os que estão na nossa família, pois todos nós temos limitações e precisamos superar os mal-entendidos rapidamente...
- Por quê, vô?
- Porque quando não superamos os mal-entendidos os levamos para o outro lado, ficamos presos nessas pequenas coisas e isso impede que caminhemos mais rapidamente em direção à nossa destinação final que é nos transformarmos em Espíritos puros...
- Nossa, vô... e como fica esse negócio de poder te ver depois da desencarnação?
- Ah... é verdade... tava esquecendo... para que nos vejamos deveremos ter autorização da espiritualidade, pois tem que ter um propósito maior do que simplesmente satisfazer aos nossos desejos... o amor é o grande instrumento para que a humanidade consiga todas as coisas...
- Mas eu te amo, vô...
- Claro que sim, e eu também te amo...
- Isso quer dizer que poderá acontecer?
- Poderá sim, basta que nós queiramos continuar nos vendo, mas aviso que é de vez em quando...
- Claro, eu tenho mais o que fazer...
- E eu espero que tenha também alguma coisa a fazer do outro lado...
- Quando eu estiver muito triste você vem?
- Venho, mas o importante é que entendamos que não precisamos ficar tristes para vermos os nossos entes queridos, pelo contrário, quando estamos alegres a possibilidade é muito grande e proporcionamos momentos de muita felicidade para os de lá e os de cá...
- Tá bom... quando eu estiver alegre quero te ver também...
- Tá bom, mas eu espero que isso demore... afinal, este planeta é simplesmente maravilhoso e eu adoro estar encarnado e aproveitando os benefícios que ele nos proporciona...
- Eu também, vô...vamos tomar um chá?
- Chá pra você e café pra mim... pode ser?
- Pode!!!

7 comentários:

  1. Excelente texto!
    Vivemos em um desencontro de afeições edificantes, onde filhos abandonam seus pais, onde os idosos são descartados nas praças/asilos, onde nossas crianças perderam a essencia de brincar apenas no cantarolar de uma música infantil e inocente.
    Obrigada Manolo, por este texto, onde espero que possa resgatar muitos pensamentos pela internet a fora, ao ponto de induzir as pessoas serem mais humildes espiritualmente antes de quererem mostrar o que não são e que jamais poderão ser se não tiverem a mente de Cristo.
    Abraço fraterno
    Nicinha

    ResponderExcluir
  2. Oi Nicinha.
    Muito obrigado pelo carinho. Espero que ajude de alguma maneira.
    Abraço fraterno.

    Manolo Quesada

    ResponderExcluir
  3. Hoje (30/03) tive a oportunidade de assistir uma palestra com o Manolo no Centro Espírita O Semeador e foi sensacional, a melhor palestra do ano, até o momento! Espero que venha outras vezes! Grande Abraço! Edivaldo de Fabio

    ResponderExcluir
  4. oi Edivaldo, muito obrigado pelo carinho de todos ai do Semeador... abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  5. Que delicia de história amanhã vou na bienal so para continuar lendo o seu livro

    ResponderExcluir
  6. oi Ari Graciano, muito obrigado pelo carinho... uma amizade que preservarei com muita alegria... abraço fraterno.

    ResponderExcluir
  7. Oi, querido Manolo. Assisti sua palestra hoje e adorei ! Vou divulgar seu trabalho na minha rede social www.espiritbook.com.br ! Meu email particular : henrique.regis@hotmail.com

    ResponderExcluir